Logotipo da Prefeitura Municipal de Campinas
 

Notícias

Prefeitura homologa processo seletivo emergencial e convoca 12 médicos


18/05/2022 - 10:09




A Secretaria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas divulga nesta quarta-feira, 18 de maio, no Diário Oficial (www.campinas.sp.gov.br/diario-oficial/), a homologação do processo seletivo emergencial e a convocação de 12 médicos, três de cada especialidade. A publicação também traz a classificação final dos candidatos.

A reunião de preenchimento de vagas será na segunda-feira, 23 de maio, às 14h, no Plenarinho do Paço Municipal (Av. Anchieta, 200 - entrada pelo Espaço do Servidor).

“O processo seletivo foi todo feito pela Prefeitura, sem custos para o candidato. E conseguimos cumprir o cronograma sem atrasos ou necessidade de prorrogações. A comissão trabalhou para que tudo ocorresse de acordo com as regras do processo seletivo”, explicou Juliana Miorin, coordenadora de Concursos, Recrutamento e Seleção.

O contrato de trabalho será de, no máximo, 12 meses. Para este processo seletivo, que é simplificado e emergencial, não houve prova. A seleção foi por títulos, enviados durante o período de inscrições.

O processo seletivo teve 151 inscritos e os contratados vão atuar na rede básica de saúde. Deste total, 102 são médicos - geral; nove ginecologistas; 26 pediatras e 14 psiquiatras. Os profissionais vão atuar na atenção básica da Prefeitura de Campinas.

O processo seletivo ainda previu 20% das vagas para candidatos pretos ou pardos e 5% para pessoas com deficiência.

Remuneração

A remuneração mensal pode chegar a R$ 12.593,40. Além do salário, os novos médicos também terão direito ao prêmio produtividade, com valores variáveis, de acordo com o local e a jornada de trabalho, que vai de 12 horas a 36 horas.

Profissionais com jornadas a partir de 20 horas semanais também terão direito a auxílio refeição ou vale-alimentação no valor de R$ 1.249,81.


Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Crédito: Fernanda Sunega

Foto: Profissionais vão atuar na rede básica de Saúde. | Crédito: Fernanda Sunega

Profissionais vão atuar na rede básica de Saúde.