Logotipo da Prefeitura Municipal de Campinas
 

Notícias

Campanha de vacinação contra a gripe continua até o final do mês


05/06/2020 - 08:00




A vacinação de públicos prioritários da terceira e última fase da 22ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza 2020 _ crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto) _ está abaixo da meta em Campinas, no Estado de São Paulo e no País, e isso pode colocar esses segmentos em risco. Por isso, é importante que se vacinem o mais rápido possível. Um novo ponto positivo é que a meta de vacinação de pessoas com doenças crônicas já ultrapassou a cobertura mínima desejada, chegando a 97,8% do público estimado. A campanha continua até o final do mês e há vacina disponível em todos os 66 Centros de Saúde do Município.
 
 
O alerta sobre a importância de crianças de 6 meses a menos de 6 anos, grávidas e mulheres que tiveram bebê nos últimos 45 dias se vacinarem o mais breve é da articuladora do Programa de Imunização em Campinas, Ana Cecília Zuiani Zocolotti. “A vacina da gripe também é contra o vírus H1N1, que pode causar formas muito sérias de infecção nessas pessoas, até com risco de morte”, explica. “Como existe a vacina contra o H1N1, a melhor forma de se prevenir e evitar esse risco, é se vacinar”, diz, pedindo que os pais levem as crianças para se vacinar e grávidas e puérperas também se vacinem.
 
 
É importante que a população compreenda que a vacina contra a gripe, embora não proteja contra a Covid-19 (doença para a qual ainda não há imunização), protege contra as gripes A (H1N1 e H3N2) e B, que também podem evoluir para casos graves e até infecções respiratórias agudas graves. Esses casos podem levar a hospitalização e até a morte. Por isso, é fundamental que pessoas mais vulneráveis e que podem tomar a vacina, participem da Campanha de Vacinação contra Influenza 2020.
 
 
Outro ponto importante é que ao se imunizar contra esses vírus, a quantidade de pessoas gripadas no inverno é reduzida, evitando sobreposição de doenças e reduzindo casos de internação por complicações respiratórias, evitando sobrecarregar hospitais. Além disso, a pessoa estando vacinada colabora com diagnóstico mais rápido em casos do novo coronavírus.
 
 
Balanço
 
 
Segundo relatório recente do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), da Secretaria Municipal de Saúde, até quinta-feira, dia 4 de junho, Campinas tinha vacinado 32.146 crianças entre 6 meses e 6 anos incompletos. Isso significa 43,44% do público-alvo estimando de 74 mil pessoas nessa faixa etária. Os números acompanham os dados gerais no Estado de São Paulo, de 43,88%, e no Brasil, de 44,64%, no mesmo período.
 
 
O mesmo se repete no grupo das gestantes nesta terceira fase da campanha. Campinas já vacinou 4.446 grávidas, segundo último levantamento, ou 39,2% do público estimado de 11.369 mulheres. Em São Paulo, esse índice está em 41,17%, e no País chega a 44,34%. No caso das puérperas, já foram vacinadas 772 na cidade, ou 41,3% do total estimado de 1.869 mães recentes.
 
 
Também fazem parte dos públicos da terceira etapa da 22ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza 2020, deficientes, professores da rede pública e privada e pessoas entre 55 a 59 anos de idade. Segundo balanço do Devisa de 4 de junho, foram aplicadas 13.677 doses em adultos com 55 anos ou mais. Entre as pessoas com deficiência, são 326 vacinadas contra a gripe em Campinas. Já os professores somam 5.169 pessoas vacinadas.
 
 
Seguindo determinação do Ministério da Saúde, é importante imunizar 90% do universo dos públicos prioritários da campanha para garantir menor impacto na população. O que já foi conseguido em Campinas em relação às duas primeiras fases. 
 
 
A segunda fase foi direcionada para doentes crônicos, funcionários do sistema prisional e a população privada de liberdade, caminhoneiros e motoristas do transporte coletivo. Nestes grupos, os dados coletados até 4 de junho, mostram 97,8% dos doentes crônicos já receberam a vacina, com 70.377 doses aplicadas para um público estimado em cerca de 72 mil pessoas. Os dados somam que até essa data também foram vacinadas 5.778 profissionais que trabalham nas forças de Segurança e Salvamento; 4.034 pessoas privadas de liberdade; 280 menores infratores sob medidas socioeducativas; 440 funcionários do sistema prisional; 3.211 caminhoneiros e 1.481 motoristas do transporte coletivo.
 
 
A primeira etapa foi destinada para profissionais de Saúde e de idosos e a vacinação superou a meta inicial e passou de 100%. Balanço recente aponta que foram aplicadas 48.966 doses em profissionais de Saúde e 155.396 doses em idosos.
 
 
Onde se vacinar
 
 
A vacinação contra a gripe continua sendo realizada nos Centros de Saúde da cidade até o próximo dia 30 de junho. Para saber os locais e os horários de vacinação em Campinas, acesse http://www.saude.campinas.sp.gov.br/eventos/eventos_2020/campanha_influenza_2020/locais_vacinacao.htm
 
 
A Rede Municipal de Saúde Campinas está abastecida com as doses necessárias para atender a comunidade, segundo Ana Cecília Zocolotti. Para a vacinação, a coordenadora explica que as unidades de saúde estabeleceram esquemas especiais para evitar aglomerações e as pessoas podem ir se vacinar sem preocupação, apenas tomando as medidas de proteção individual contra a pandemia, como uso de máscaras individuais.
 
 
Pessoas com doenças crônicas e situação clínica especial devem apresentar uma comprovação de sua condição para ter acesso à vacina, segundo determinação da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Pode ser prescrição médica; receita de medicamento; anotação em prontuário das unidades de saúde; cadastro em programas de controle de doenças crônicas; comprovante de vacinação para influenza ou a caderneta com registro da vacina de influenza em anos anteriores.

Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Crédito: Divulgação

Foto: Vacinação contra a gripe prossegue até o fim do mês nos Centros de Saúde | Crédito: Divulgação

Vacinação contra a gripe prossegue até o fim do mês nos Centros de Saúde