Logotipo da Prefeitura Municipal de Campinas
 

Notícias

Prefeitura testa pagamento da passagem de ônibus sem uso de dinheiro


19/01/2017 - 17:52




 

 

A Administração municipal testa uma nova forma de pagamento da tarifa do transporte público coletivo, além do uso dos cartões da família Bilhete Único (BU). Um bilhete de papel com QR Code (Quick Response Code, ou Código de Resposta Rápida na sigla em Inglês) substituirá o pagamento em dinheiro dentro dos ônibus, eliminando a necessidade do motorista receber pela passagem.

 

 

O QR Code é um código de barras bidimensional, impresso em papel, que armazena dados e caracteres. O ticket terá a codificação da tarifa. O bilhete com o QR Code tem o custo de R$ 4,50, valor de uma passagem para pagamento em dinheiro. E não dá direito à integração.

 

 

Essa é uma resposta de inovação tecnológica e operacional na adoção de medidas que proporcionem maior segurança para os usuários do transporte coletivo do município e, também, para a própria operação do sistema”, avalia o secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Carlos José Barreiro.

 

 

O projeto piloto começa nesta sexta-feira, dia 20 de janeiro, seguindo até o dia 28 de fevereiro. Inicialmente será realizado em ônibus da empresa Pádova, que integra o consórcio Urbcamp. São 25 veículos, de oito linhas que atendem os distritos de Sousas e Joaquim Egídio. Os veículos receberam novos validadores com leitora óptica e circulam nas linhas: 300 – Sousas / Terminal Barão Geraldo; 390 – Joaquim Egídio; 391 – Nova Sousas; 392 – San Conrado; 393 – Cabras / Estação Sousas; 394 – Parque Jatibaia; 396 – Sousas; e 398 – Fazenda Espírito Santo / Estação Sousas.

 

 

Neste período, nós vamos analisar as funcionalidades e verificar como a nova solução se comporta. Também faremos as correções necessárias. Nossa meta é estender a iniciativa para toda a frota”, revela Barreiro.

 

 

Venda

 

 

No período de testes, a comercialização das passagens com QR Code será feita na região de Sousas, em três lojas da rede credenciada pela Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc). Também haverá monitores, devidamente uniformizados, vendendo os bilhetes nos principais pontos de embarque do distrito.

 

 

A passagem terá validade de sete dias, contados a partir da data da emissão. Não há reembolso pela não utilização do ticket, nem emissão de segunda via por conta de perda, furto, roubo ou qualquer outra ocorrência.

 

 

Com o ticket em mãos, o usuário entra no ônibus e, ao passar pela catraca, mostra o código para leitura no validador. A identificação é feita pelo equipamento e a catraca, liberada. É tudo bem rápido e simples, como o uso do cartão do Bilhete Único”, afirma o secretário de Transportes.

 

 

Futuramente, com a aprovação da nova tecnologia e ampliação para o restante da frota, o bilhete com QR Code será comercializado em toda a rede credenciada da Transurc e no sistema de ATMs (Automated Teller Machine), que serão implantados em pontos estratégicos do município, como terminais de ônibus, hospitais, postos de saúde e Terminal Rodoviário. Nestes equipamentos, similares a caixas eletrônicos de bancos, será possível adquirir o bilhete utilizando cartões de débito ou crédito.

 

 

Eliminação do dinheiro

 

 

O projeto de eliminação do uso do dinheiro dentro dos ônibus, como forma de pagamento da passagem, entra na fase final de implantação. A principal preocupação da Administração municipal, quando iniciou o projeto em 2014, foi com a segurança de passageiros e operadores do transporte público, além de promover a modernização do sistema.

 

 

Em agosto de 2014 foi lançado o Programa de Aperfeiçoamento Profissional (PAP), em parceria com a Transurc. O programa era uma oportunidade de requalificação profissional para os cobradores, que ofereceu cursos gratuitos em quase dez carreiras de atuação.

 

 

Em outubro de 2014 foram criados os bilhetes 1 Viagem e 2 Viagens para os passageiros ocasionais do transporte público. Agora ocorre a implantação do bilhete com o QR Code.

 

 

O sistema de transporte público coletivo de Campinas caminha para que, no futuro, com a integração de novos modais de transporte, o pagamento da tarifa seja totalmente desembarcado (fora do veículo).

 

 

Melhorias no transporte público

 

 

A Administração municipal persegue, continuamente, o objetivo de proporcionar à população um transporte público de qualidade, seguro, rápido e eficiente. Nos últimos quatro anos, foram várias ações neste sentido: 334 novos ônibus acessíveis, aumento do tempo de integração para 2h, criação do Passe Lazer e do Bilhete Universitário, implantação de 7,5 km de faixas exclusivas e do Núcleo de Monitoramento do Transporte.

 

 

A acessibilidade nos ônibus atinge 80% da frota. Com o “Busão na Hora” a população tem, na palma mão e em tempo real, as principais informações do sistema. Já são 180 mil downloads. A Administração também trabalha no grande projeto de implantação de 36,6 km de corredores BRT nos distritos do Campo Grande e do Ouro Verde, beneficiando mais de 300 mil pessoas.

 

 

Atualmente, Campinas tem pouco mais de 1,2 mil ônibus na frota, distribuídos em cerca de 200 linhas. A média mensal de passageiros transportados é de 14,7 milhões (fechamento de 2016).

 

 


Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Crédito: Divulgação/Transurc

Foto: Ticket será colocado em frente ao validador | Crédito: Divulgação/Transurc

Ticket será colocado em frente ao validador

Crédito: Divulgação/Transurc

Foto: Bilhete com QR Code equivale a uma passagem | Crédito: Divulgação/Transurc

Bilhete com QR Code equivale a uma passagem