Logotipo da Prefeitura Municipal de Campinas
 

Notícias

Campinas discute papel das cidades no enfrentamento às mudanças climáticas


17/03/2021 - 11:48




O secretário municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Campinas (SVDS), Rogério Menezes, participa nesta quinta-feira, 18 de março, às 19h, da live “Cidades e o clima: práticas locais de enfrentamento”. O evento é uma realização da Anamma (Associação Nacional dos Órgãos Municipais de Meio Ambiente) Brasil e da Frente Parlamentar Ambientalista dos Vereadores do Brasil.
 
Menezes irá mostrar, no evento, as ações adotadas por Campinas para enfrentar as mudanças climáticas, entre elas, a elaboração do Inventário Metropolitano de Gases de Efeito Estufa e Poluentes Atmosféricos (2019), que propõe metas de redução das emissões para os diferentes setores para os anos de 2025, 2030, 2040 e 2060.
 
Falará também sobre a instituição da Política Municipal de Enfrentamento dos Impactos da Mudança do Clima e da Poluição Atmosférica de Campinas, de 2020, que promove uma estratégia transversal de desenvolvimento sustentável pautada pela economia circular e de baixo carbono para redução das emissões antrópicas de gases de efeito estufa e de poluentes atmosféricos no município de Campinas, alinhada à geração e distribuição de renda, à inclusão social e ao respeito aos direitos humanos.
 
Além de Menezes, o evento contará com a participação dos seguintes palestrantes: Luciano Glagliardi Paez, secretário municipal do Clima – Prefeitura de Niterói (RJ); Sergio Xavier, articulador da iniciativa Governadores Pelo Clima, do Centro Brasil no Clima (CBC) e ex-secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco; e Miriam Garcia, do CDP América Latina.
 
Moderação
 
A diretora do Departamento de Licenciamento Ambiental da SVDS e vice-presidente da Anamma SP, Andrea Struchel, fará a moderação do debate ao lado do presidente da Anamma Brasil, Marçal Cavalcanti; do fundador da Anamma Brasil e representante da SOS Mata Atlântica, Mário Mantovani; e do vereador de Florianópolis (SC) e Coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista dos Vereadores do Brasil, Marquito.
 
O evento será transmitido ao vivo nas redes sociais da Anamma e da Frente Parlamentar Ambientalista.
 
YouTube: 
 
Facebook: 
 
Site da ANAMMA: 
 
Site da Frente Ambientalista dos Vereadores do Brasil:
 
 
Saiba mais
 
Segundo a Convenção Quadro das Nações Unidas para a Mudança do Clima (CQNUMC), existem os termos “variabilidade climática” e “mudança climática”. A variabilidade climática consiste em variações naturais, sendo que a mudança climática significa alterações que tenham como causa direta ou indireta a ação do homem, dita “antrópica”.
 
Entre as causas dessas mudanças encontra-se, principalmente, a emissão dos gases formadores do efeito estufa, conhecidos pela sigla GEE. Segundo o Protocolo de Kyoto, são eles: dióxido de carbono (CO2), metano (CH4), óxido de nitrogênio (N2O), hidrofluorcarbono (HFCs), perfluorcarbono (PFCs), hexafluoreto de enxofre (SF6), e trifluoreto de nitrogênio (NF3).
 
Tudo isso ocasiona o aquecimento global, que se manifesta com o aumento da temperatura média dos oceanos e da camada de ar próxima à superfície da terra. Os cientistas informam sobre a elevação do nível do mar devido ao derretimento das calotas polares e cada vez mais presenciamos com maior frequência eventos climáticos que impactam nossa vida (tempestades, nevascas, tsunamis, tornados e furacões).  
 
O que pode ser feito
 
Reduzir as emissões dos gases de efeito estufa está diretamente ligada à diminuição do desmatamento, reflorestamento e conservação de áreas naturais, incentivo do uso de energias renováveis não convencionais (solar, eólica, biomassa, etc) e o uso de biocombustíveis (etanol, biodiesel) ao invés daqueles derivados do petróleo.

Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Crédito: Arquivo PMC

Foto: Uma das contribuições de Campinas para combater as mudanças climáticas, o Inventário Metropolitano de Gases de Efeito Estufa e Poluentes Atmosféricos, aponta os níveis, as fontes e a localização dos poluentes na RMC. | Crédito: Arquivo PMC

Uma das contribuições de Campinas para combater as mudanças climáticas, o Inventário Metropolitano de Gases de Efeito Estufa e Poluentes Atmosféricos, aponta os níveis, as fontes e a localização dos poluentes na RMC.