Logotipo da Prefeitura Municipal de Campinas
 

Notícias

Escola Leões da Vila Padre Anchieta é a vencedora do Carnaval 2014


06/03/2014 - 17:45




 

 

 

Campinas já tem a escola de samba vencedora do Carnaval 2014 “Vem que Tem”, realizado pela Prefeitura. A eleita é Leões da Vila Padre Anchieta, com 97 pontos, e foi anunciada na tarde desta quinta-feira, no ginásio de esportes Rogê Ferreira, no São Bernardo, em meio a torcidas das agremiações. A segunda colocada é Unidos de Vila Rica, que empatou na pontuação com Unidos do Shangai, ambas com 95 pontos. A colocação em terceiro lugar só foi decidido após o terceiro critério de desempate, a fantasia. Os pontos das escolas foram anunciados pelo diretor de Cultura, Gabriel Rapassi, da Secretaria Municipal de Cultura. “Este é um momento festivo, as escolas se respeitam e estamos felizes em ver o resultado desse trabalho”, comentou Gabriel.

 

A primeira colocada receberá R$ 30 mil, a segunda, R$ 20 mil e a terceira R$ 10 mil. A três primeiras colocadas não perderam nenhum ponto por penalidade. A partir da avaliação deste ano, as escolas serão classificadas em grupos Especial e de Acesso para o Carnaval 2015. Classificadas para o grupo Especial estão Leões da Vila Padre Anchieta, Unidos de Vila Rica, Unidos do Shangai, Acadêmicos dos Amarais e Rosa de Prata.

 

Ficam no grupo de Acesso as agremiações Unidos do Paranapanema, Estrela d'Alva, Ponte Preta Amor Maior, Princesa de Madureira e Renascença. No próximo ano, o grupo Especial terá prioridade nos horários de apresentação e receber um repasse maior da Prefeitura.

 

A Leões da Vila Padre Anchieta foi fundada em 1997, é do bairro Vila Padre Anchieta, e teve como tema o Nordeste: terra natal do cangaço. Desfilou com 350 componentes e três carros alegóricos. A escola caprichou nas fantasias, no ritmo da bateria e na encenação do Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna. “Tivemos empenho de toda a comunidade. Nós mesmos confeccionamos nossas fantasias, ensaiamos muito e mostramos que é possível construir um Carnaval em Campinas. Agora vamos para a quadra festejar” comemorou a presidente da escola, Elizeth Campagnuci. Este ano, a Leões da Vila Padre Anchieta leva o oitavo título.

 

A Unidos de Vila Rica, segunda colocada, foi fundada em 1966, parou em 1988 e voltou em 2008. É do bairro Vila Rica, tem dois títulos, desceu com 350 componentes e o tema foi “Perfume, essência divina”. A Unidos do Shangai, terceira colocada, começou as atividades em 1988, é do Jd. Shangai, desfilou com 500 integrantes e três carros alegóricos com o enredo “Guerreiros”.

 

Avaliação

 

As dez escolas do grupo Especial, que passaram pelo sambódromo, na Estrada dos Amarais, nos dias 2 e 3 de março, foram avaliadas por uma comissão de dez jurados em dez quesitos: comissão de frente, fantasias, samba-enredo (letra e melodia), primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, enredo, harmonia, bateria, ala instrumental e puxadores: interpretação, arranjo e execução musical, alegoria e destaques. Apenas a pleiteante Águia de Ouro não entrou na competição.

 

Por descer a avenida com um número menor de componentes exigido pelo regulamento, as escolas Princesa de Madureira e Unidos do Paranapanema foram desclassificadas.

 

As agremiações Águia de Ouro, Unidos do Paranapanema, Estrela d'Alva, Unidos do Shangai e Ponte Preta Amor Maior se apresentaram no domingo e na segunda-feira, o desfile foi das escolas Princesa de Madureira, Rosa de Prata, Unidos de Vila Rica, Renascença e Leões da Vila Padre Anchieta.

 


Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Crédito: Carlos Bassan

Foto: A torcida vibra | Crédito: Carlos Bassan

A torcida vibra

Crédito: Carlos Bassan

Foto: Anúncio dos resultados | Crédito: Carlos Bassan

Anúncio dos resultados

Crédito: Antonio Oliveira

Foto: Cabras da peste na avenida | Crédito: Antonio Oliveira

Cabras da peste na avenida

Crédito: Antonio Oliveira

Foto: Cores do sertão | Crédito: Antonio Oliveira

Cores do sertão

Crédito: Carlos Bassan

Foto: Desolação de quem ficou sem título | Crédito: Carlos Bassan

Desolação de quem ficou sem título