Logotipo da Prefeitura Municipal de Campinas
 

Notícias

Cultura confirma Rodrigo Morte como novo diretor da Sinfônica


26/02/2013 - 13:19




 

A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas está sob nova direção. A Secretaria de Cultura confirmou, nesta terça-feira, 26 de fevereiro, o nome do músico Rodrigo Morte para assumir a função. “Tem o perfil que desejamos para o momento que vive a Sinfônica. Profundo conhecimento técnico, experiência nacional e internacional, personalidade firme e pés no chão”, disse o secretário de Cultura, Ney Carrasco.

 

O novo diretor, de 36 anos, deixou a Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo após 13 anos atuando como arranjador. Ele assume o posto em Campinas ainda esta semana e afirma acreditar muito no potencial dos 82 atuais músicos que fazem parte do corpo da Orquestra. “Estou bastante estimulado para trabalhar. É um desafio e, ao mesmo tempo, vislumbro a Sinfônica Municipal com o mesmo destaque de antigamente, quando era conhecida nacionalmente. Trabalhando em equipe podemos levar a música de Campinas de volta ao lugar onde sempre mereceu estar”, afirmou.

 

Ainda estou tomando consciência de tudo. Aquilo que temos de bom e dos problemas que vão demandar mais atenção. Temos muito trabalho pela frente, mas creio na união de todos os envolvidos para o bem comum”, acrescentou Morte.

 

Biografia

 

Rodrigo Morte é compositor, arranjador, produtor, pianista e educador. Nascido em São Paulo, formou-se bacharel em música popular pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e, posteriormente, tornou-se Mestre em composição e arranjo pela Universidade de Miami (EUA).

 

Trabalhou com orquestras como a Orchestre National d’Île de France, Hollywood Studio Orchestra, Filarmônica de Bruxelas, Westchester Jazz Orchestra, Greensboro Symphonic Orchestra, SoundScape Big-Band, Orquestra Petrobras Sinfônica e a Aspen Festival Orchestra.

 

É graduado em música popular pela UNICAMP e mestrado em composição e arranjo (Studio Jazz Writing) pela Universidade de Miami.

 

Antes de assumir a direção da Sinfônica em Campinas, dava aulas de de arranjo e tecnologia musical na Faculdade Souza Lima, na capital paulista e era arranjador Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, onde atuou por 13 anos. Neste tempo, escreveu para artistas consagrados como Rosa Passos, Dave Liebman, Maria Rita, Jane Monheit, Gal Costa, João Bosco, Dori Caymmi, Amilton Godoy, João Donato, Toninho Horta, Regina Carter, Arnaldo Antunes, Yamandú Costa, Hamilton Holanda, Lulu Santos, Ed Motta, César Camargo Mariano, Leo Gandelman, Luís Melodia, Esterzinha de Souza, Chico Pinheiro, Raul de Souza, Mozar Terra, Paulo Sérgio Santos, Daniela Mercury, Ted Nash, Ben Allison, Michael Blake e o Collective Jazz Composers, Paulinho da Viola entre outros. Colaborou também em projetos do Zimbo trio, Ney Rosauro, Nestor Torres, Lenine e Maria Schneider.

 

Prêmios

 

- Tributo a Elis Regina - Rosa Passos e a Orquestra Jazz Sinfônica – Arranjador

Especial “Novos Compositores” – Orquestra Jazz Sinfônica – Compositor convidado

- Noventa anos de Dorival Caymmi - Orquestra Jazz Sinfônica – Compositor convidado

- Melhor Música Original - Canes Film Festival – pela trilha do filme “Big Sister”

Outstanding Performance in Jazz Composition – Down Beat Magazine’s Student Music Awards

- ASCAP Film Scoring Workshop Fellowship

- Excelência Acadêmica - Escola de Graduação/Universidade de Miami

- Bolsa integral do programa ApArtes/CAPES para especialização no exterior.

Crédito: Divulgação Cultura

Foto: Novo diretor da Orquestra Sinfônica de Campinas, Rodrigo Morte | Crédito: Divulgação Cultura

Novo diretor da Orquestra Sinfônica de Campinas, Rodrigo Morte